COLETIVA: Em Porto Velho Bolsonaro diz “mulher forte terá arma na cintura”

0
117

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, fez campanha em Porto Velho nesta sexta-feira (31) e defendeu que a segurança nas fronteiras seja prioridade no combate ao tráfico e ao contrabando. “As regiões fronteiriças são alvo das facções criminosas e temos que garantir o controle nessas localidades para impedir a proliferação da violência”, disse.

Ele também falou que, em um eventual governo, vai combater a criminalidade, promover o endurecimento de leis penais, fortalecer o policiamento e promover a revisão do Estatuto do Desarmamento. Bolsonaro primeiro fez um discurso para eleitores em frente ao aeroporto de Porto Velho, no qual agradeceu os militantes de sua campanha. Em seguida percorreu ruas e falou com eleitores.

SEGURANÇA

Em um dos compromissos que teve na capital disse que defende o porte de armas para as “pessoas de bem” e afirmou que “O que torna mulher tão forte quanto homem é arma na cintura dela. Essa historinha de querer dar ‘porrada’ em mulher vai acabar.

O candidato foi questionado sobre declaração de que o policial que matar bandidos deve ser condecorado, e não processado.  “As nossas policias civis e militares, PRF e PF, agentes penitenciários, guardas municipais, serão reconhecidas. Trocou tiro com vagabundo, o vagabundo morreu, você tem que ser condecorado”, declarou. 


ESTRADAS

Depois, o candidato deu uma entrevista coletiva em um hotel da cidade. Questionado sobre as condições das estradas, Jair Bolsonaro se limitou em dizer que acaso seja eleito entregará esta tarefa para um técnico engenheiro do exército.

“Buscaremos um general do exército para ocupar a pasta e planejar a melhor forma de melhorar a malha viária, porém este não é um trabalho simples de fazer, vai demorar”, concluiu.

PRIVATIZAÇÃO

Jair Bolsonaro pretende realizar um programa de privatizações, mas diz que só divulgará as estatais envolvidas em setembro, quando for lançado seu programa de governo. Sobre a Petrobras, disse ao Rondoniaovivo que o tema “entrou no seu radar”, mas que ainda não tem uma definição. A respeito dos bancos públicos, disse “estudar” a possibilidade.

REFORMA TRABALHISTA

Votou a favor da proposta na Câmara dos Deputados. Em sabatinas e entrevistas, ele tem repetido e diz ouvir de empresários que os trabalhadores brasileiros podem ter que escolher entre ter “menos empregos e mais direitos” ou o oposto.

AGRONEGÓCIO

Bolsonaro defendeu a exploração da Amazônia pelo agronegócio e fez duras críticas a fiscalização ambiental de órgãos públicos na região. O candidato do PSL afirmou que os órgãos ambientais estão intensificando demais a fiscalização. O “excesso” de áreas protegidas no Brasil, como reservas indígenas e parques nacionais, “atrapalham” o desenvolvimento do país.

Segundo Jair Bolsonaro, o Brasil não suporta ter mais da metade do território demarcado como terras indígenas, juntamente com áreas de preservação ambiental, com parques nacionais.

Reunido com agricultores e pecuaristas, ele garantiu que irá fundir os ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura. “Se quer uma licença, por exemplo, até para derrubar uma árvore que já morreu leva anos. Sequer fazer uma pequena central hidrelétrica, é quase impossível. Não podem continuar admitindo uma fiscalização xiita por parte do Ibama, prejudicando os que querem produzir”, concluiu.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here