Casal de Rondônia saberá se tem o coronavírus nesta sexta-feira (7)

0
13

Os exames do casal com suspeita de coronavírus em Porto Velho apresentaram resultados negativo para rinovírus, influenza A e B, H1N1, H3N2 e vírus sincicial respiratório. A informação foi passada pela Secretaria de Saúde do Estado de Rondônia (Sesau), na manhã desta segunda-feira (3).

Segundo a Sesau, as amostras do casal estão sendo analisadas pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para saber se é coronavírus ou não, já que os exames deram negativo para outras doenças. “Com esse resultado, ainda existe a possibilidade de ser coronavírus. O resultado deve sair na próxima sexta-feira (7), que vai definir se é a doença ou não”, esclareceu Fernando Máximo.

O Ministério da Saúde recomendou que o casal continuasse sendo monitorado diariamente pela equipe do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVs), em casa. A Sesau informou ainda, que o casal está melhorando gradativamente.

O secretário disse ainda, que o Ministério da Saúde não incluiu o casal de Porto Velho, na lista de casos suspeitos, porque o chinês citado pelo casal, não foi encontrado. “Eles não estão na lista, mas precisamos ficar acompanhando”, disse Fernando Máximo.

Em uma coletiva de imprensa realizada na última sexta-feira (31), o secretário Fernando Máximo informou que o casal, esteve no Estado de São Paulo e apresentou os sintomas assim que chegou em Porto Velho.


Questionado, o casal informou que teve contato com um chinês em um táxi compartilhado no dia 20 de janeiro. O primeiro a apresentar os sintomas foi o homem, no dia 26 e logo depois a mulher, dia 28. Eles disseram que o chinês estava tossindo bastante dentro do veículo.

O secretário informou ainda, que possíveis pacientes que terão indicação de internação serão encaminhados para os hospitais de referência, caso necessário. Fernando Máximo disse que não há motivos para pânico no momento, já que não foi confirmado a doença.

Para ser considerado um caso suspeito de coronavírus, segundo Fernando Máximo, a pessoa tem que apresentar febre, tosse, falta de ar e ter contato com alguém que esteve na China recentemente, e que está apresentando os sintomas, sendo suspeito ou confirmado.

Em caso de suspeita, a população deve procurar uma Unidade Básica de Saúde ou UPA do seu município. Dúvidas também podem ser tiradas ligando no 0800 642 5398 do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde CIEVs, em caso de suspeitas.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here