Caminhoneiro morto por PEDRADA ia para Mirassol do Oeste com carga de madeira

0
74

O caminhoneiro José Batista, de 70 anos, que morreu com uma pedrada atirada por manifestantes em Vilhena, seguia com uma carga de madeira para a cidade de Mirassol do Oeste (MT). Ele residia em Jaru e havia almoçado momentos antes no Posto Miriam. De lá seguiria sua viagem, mas foi interceptado por manifestantes que atiraram a pedra.

José Batistela morreu no local. A pedra ainda estava no caminhão dele e foi recolhida pela PRF. O objeto quebrou o para-brisa do caminhão e atingiu a cabeça da vítima, que teve afundamento do crânio.

A Polícia Federal em Rondônia, por meio da assessoria de imprensa, negou que algum suspeito da morte do caminhoneiro tivesse sido preso até hoje, quinta-feira (31). O delegado regional da Polícia Civil no Estado, Fábio Campos, confirmou não ter havido prisão de suspeitos relacionados ao caso.

Nas redes sociais internautas lamentaram a fatalidade publicando várias homenagens. Batistella congregava na Igreja Metodista Central em Jaru e seu filho, João Paulo, faz parte do grupo de louvor onde toca bateria.

“Que notícia triste, só Deus para confortar a família! Você fará muita falta Batistella, um homem bom, integro, trabalhador e servo de Deus. Sempre era bom te ver, alegrava o dia de qualquer um com sua alegria e confiança em Deus. Uma pena ter ido dessa forma, sentiremos muita sua falta meu amigo você fará uma falta absurda, meus sentimentos aos familiares”, postou um internauta.


“Expresso meus profundos e sinceros sentimentos à família do Sr. José Batistella, que veio a falecer na tarde desta quarta, em Vilhena. Foi covardemente acertado por uma pedra, enquanto trabalhava com seu caminhão. Seu Batistella, como era conhecido, transmitia muita serenidade e alegria por onde andava e era muito querido por todos”, homenageou um jovem dentista.

 



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.