Briga de vereadores em Cacoal pode resultar em quebra de decoro parlamentar

0
58

Os vereadores Mário Moreira Jabá (Patri) e Rogério Chagas (MDB) se envolveram em uma nova briga. Dessa vez foi no hall de entrada da Câmara de Vereadores de Cacoal. A confusão aconteceu na última terça-feira (4) e é a segunda briga registrada entre os parlamentares em pouco mais de um mês.

Jabá informou que chegou a ser agredido com socos e pontapés. Já Rogério alegou não ter agredido ninguém, mas apenas tentado separar a briga que era entre o irmão dele e o vereador. Ambos vereadores registraram ocorrência. Valdomiro Corá (PV), presidente da Câmara, alegou que o episódio cabe quebra de decoro parlamentar.

Segundo Rogério, a confusão teria começado já na última segunda-feira (3), quando sentiu que a família dele foi ofendida por Jabá em meio a um discurso na sessão plenária. Rogério conta que, no dia seguinte à sessão, assim que saía de dentro da Câmara junto com o presidente Valdomiro Corá, viu quando o irmão dele, que ocupa a função de assessor parlamentar, começou a se desentender com Jabá, que estava sentado no hall de entrada do prédio tomando café.

“Eu vi meu irmão conversando com o Jabá e, logo em seguida, o vereador empurrou meu irmão. Quando percebi a confusão corri para separar. Mas, na verdade, não foi nada demais não. Meu irmão só deu uns conselhos para ele mesmo e logo os ânimos foram acalmados. Os dois tentaram se agredir, mas foram separados por todos que estavam próximos”, detalhou o edil.

Por outro lado, Jabá afirmou ter sido agredido não somente pelo assessor parlamentar, mas pelo próprio Rogério. O vereador contou que foi atacado com socos e pontapés. Disse ainda que chegou a fazer exame de corpo de delito.


“Ontem (terça-feira) eu fui agredido fisicamente pelo vereador Rogério e pelo irmão dele. O irmão me disse que era para eu parar, pois estava falando demais. Eu perguntei se era ameaça ou conselho. Então ele disse para eu entender como quisesse. Quando me levantei para continuarmos conversando, recebi o primeiro empurrão e passei a ser agredido com socos e pontapés. Eu não bati em ninguém. Apenas me protegi e chamei a polícia em seguida”, explicou.

Segundo o presidente da Câmara, a briga cabe quebra de decoro parlamentar. Para chegar a uma conclusão sobre o caso, os 12 vereadores se reunirão na próxima segunda-feira (10) onde, juntos, tomarão as medidas necessárias.

Ambos os vereadores registraram ocorrência na Delegacia de Polícia Civil local. No entanto, as imagens das câmeras de segurança, que poderiam esclarecer melhor o que ocorreu, não foram registradas. Conforme Valdomiro, o HD das câmeras foram cedidas para os policiais que investigam a morte do procurador Sidnei Sotele e, até o momento, não foi devolvido.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here