Mais de 40 mil testes de bafômetro foram realizados em motoristas e motociclistas, entre janeiro e junho de 2019, nas rodovias federais de Rondônia. Segundo balanço da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o número representa um crescimento de 39% nos testes de alcoolemia, se comparado ao mesmo período do ano passado.

Durante o primeiro semestre de 2018 foram realizados 29.173 testes usando o etilômetro, nome dado ao aparelho que mede a concentração de álcool etílico na corrente sanguínea do condutor. Já neste ano foram 40.578 ‘bafômetros’, o que representa uma média diária de 220 testes no estado.

Com o aumento nos testes de alcoolemia, também cresceu o número de condutores autuados por embriaguez na direção. Entre janeiro e junho do ano passado foram 258 autuações, ante 348 neste ano. Isso representa um crescimento de 34,88%.

HOUVE TAMBÉM AUMENTO nas autuações por recusa ao teste de alcoolemia. No ano passado foram 107 condutores autuados, contra 175 deste ano. A PRF diz que o teste de alcoolemia é feito apenas com o bafômetro. A distinção ocorre durante a atuação e crime, que podem ser feitos mediante teste ou recusa do condutor.

A recusa do condutor ao teste já gera uma autuação. Se o motorista ou motociclista tiver com claros sinais de ingestão de álcool, é confeccionado um Termo de Constatação de Embriaguez, aí configura crime.


Entre as 141 detenções por embriaguez na direção, em 2019, está a de um médico na BR-429, na cidade de São Miguel do Guaporé. O profissional de saúde foi preso pela PRF quando estava indo para o plantão em um hospital de um hospital no Vale do Guaporé.

Os presos após o teste do bafômetro foram multados em R$ 2.934,70 por embriaguez ao volante. Além disso, tiveram a carteira de habilitação (CNH) suspensa por 12 meses. Os dados do relatório da PRF são relacionados ao monitoramento feito diariamente pela patrulha na BR-364, BR-319, BR-435, BR-174, BR-429, BR-421 e BR 425.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

Ainda não há comentários, seja o primeiro.