Audiência pública sobre o Residencial Morada Melhor II discutiu condições de entrega de apartamentos

1
43
A Audiência Pública e tratar da situação do Residencial Morada Melhor II aconteceu na manhã desta quarta-feira (13), com o objetivo de discutir com os futuros moradores as condições de entrega dos apartamentos, no plenário da Câmara Municipal de Ji-Paraná.
A iniciativa é dos vereadores Edivaldo Gomes (PSB)  e Cláudia de Jesus (PT). “Oferecemos o apoio desta Casa de Leis para avaliarmos a situação das unidades, pois queremos evitar que as pessoas mudem para lá com tantos problemas para se resolver”, afirmaram os vereadores.
O sorteio dos endereços foi realizado no dia 19 de janeiro de 2018. O residencial está sendo construído com recursos do programa Minha Casa, Minha Vida, em parceria com o governo federal, governo de Rondônia e Prefeitura de Ji-Paraná, e está orçado em cerca de R$ 95 milhões.
O conjunto habitacional está localizado no bairro Colina Park (1º distrito). Ao todo são 1.456 apartamentos que devem beneficiar mais de cinco mil pessoas. Cada apartamento possui, aproximados, 70 m², com dois quartos, sala, cozinha, banheiro e área de serviço. O agente financeiro é o Banco do Brasil.
Os secretários municipais comentaram sobre as cobranças que vem fazendo para que a obra seja concluída; o coordenador estadual de Habitação, Carlos Gadelha falou a respeito do problema com a rede de tratamento de esgoto; o engenheiro civil técnico da obra, Pedro Vitor disse que tiveram problemas com as liberações dos recursos, que são feitos através de medições e que estava previsto para ontem (14) uma reunião em Brasília para tratar sobre a obra; e o engenheiro da Caerd, Carlos Pilengue falou que não foi convocada uma comissão de avaliação para desobstrução da água e que a Caerd atende mediante o recurso do governo federal.
Em seguida os moradores fizeram perguntas para os responsáveis, que esclareceram alguns pontos. E representando a Secretaria Municipal de Educação, professora Márcia Regina comentou sobre as questões relacionadas a Educação.  A respeito da implantação de uma escola no local, a representante da coordenadoria de Educação, Jaqueline Góes disse que vai levar a reivindicação para a Seduc.
O secretário municipal de Planejamento, Pedro Cabeça falou sobre a Unidade Básica de Saúde para atender os moradores da região e que a obra está em andamento no bairro São Bernardo e também que foi dada a ordem de serviço para um posto especializado, além da creche que está sendo construída no Parque Amazonas para atender a região.
O evento contou com a presença do assessor do mercado Agro do Banco do Brasil, Jarbas Sampaio de Souza, que comentou sobre recursos, secretário municipal de Meio Ambiente, Reinaldo Pereira, secretária municipal de Ação Social, Sônia Reigota, vereadores Edilson Vieira (MDB), Ida Fernandes (PV), Isaias Arnica (PSB), Joaquim Teixeira (MDB), Jhony Paixão (PRB), Obadias Ferreira (DEM) e Welinton Fonseca – Negão filho do Isaú (PR), diretor da Agerji, Clederson Viana, entre outros.
ENCERRAMENTO — No encerramento foi formada uma comissão para acompanhar as cobranças; Edivaldo Gomes e Cláudia de Jesus se comprometeram em manter os moradores informados sobre as questões abordadas na audiência; o engenheiro Pedro Vitor vai repassar as informações sobre o andamento da obra; o assessor do Banco do Brasil, Jarbas Souza ficou de enviar um relatório a respeito dos recursos para as construções de escola e creche no local; Carlos Gadelha reafirmou que vão agilizar os procedimentos para a entrega das casas; e o secretário municipal de Meio Ambiente, Reinaldo Pereira vai solicitar na Sedam cópia do processo de licitação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

One comment