Neste domingo (02) aconteceu, das 9 às 15 horas, na EEEFM Marechal Rondon, em Ji-Paraná, a etapa local da Campanha Nacional de Prevenção do Câncer de Pele. Esta iniciativa usa a cor laranja para ilustrar as suas mensagens, seguindo o exemplo do Setembro Amarelo (trânsito), Outubro Rosa (câncer de mama) e Novembro Azul (câncer de próstata).

Coordenada pelos dermatologistas Silmar e Alessandra Camarini há doze anos, a campanha desdobrou-se em palestras e atendimentos de triagem nas salas do colégio. Todos os casos suspeitos de câncer de pele foram encaminhados para consultas gratuitas e mais detalhadas, nos consultórios dos médicos a partir desta semana.

Cerca de 30 alunos dos cursos de Farmácia e Enfermagem de faculdades locais auxiliaram neste mutirão que auxiliou, desta vez, cerca de 500 pessoas. Segundo a drª Alessandra o quadro é preocupante porque os casos de cânceres de pele aumentaram consideravelmente. “A incidência dos raios ultravioleta desde as primeiras horas do dia e o preço alto dos protetores solares, contribuem muito para este quadro, entre outros fatores”, declarou. “A população já se conscientizou do uso do protetor solar, mas como seu preço é muito alto, uma vez que não é classificado como remédio, a população acaba não usando o produto”, frisou.

Uma saída para esta situação, de acordo com a médica, é mandar preparar um protetor solar físico com óxido de zinco e dióxido de titânio, em farmácias de manipulação. O preço também não é muito acessível, mas sua ação na pele e durabilidade é maior.

De acordo com o dr. Silmar às sete horas da manhã a radiação do ultravioleta já costuma atingir a carga máxima. “Isto acontece em grande parte por conta da poluição do ar e pela extinção gradual da camada de ozônio na atmosfera”, disse ele. O grande número de horas de exposição ao sol por parte da população faz de Rondônia um dos cinco estados brasileiros como maior incidência de câncer de pele, segundo ele.


A regra do ABCDE – Para saber se uma mancha na pele  deve ser considerada suspeita, é preciso conhecer uma regrinha simples chamada de ABCDE. O “A” refere-se à assimetria: observe se a mancha tem forma assimétrica, ou seja, irregular; o “B” refere-se à borda: observe se as bordas da mancha são irregularidades e têm saliências; o “C” refere-se à cor: observe se a mancha tem variação de tons de cor; o “D” refere-se ao diâmetro: observe se a mancha ultrapassa o diâmetro de  5mm; e o “E” refere-se à evolução: observe se a mancha evolui com alguma rapidez a partir de todos estes sintomas apresentados.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here