Justamente na Semana do Autismo, uma ótima notícia para pais e alunos autistas: representantes da Associação de Pais e Amigos dos Autistas de Ji-Paraná (Amaji) entregaram ao prefeito Jesualdo Pires, um documento pedindo a cedência do prédio onde até o ano passado funcionava a Escola São Gabriel, localizada na Linha União, km 16, para servir como sede da associação e como um centro de atendimento especializado para jovens autistas.

O prefeito não só foi receptivo à iniciativa da entidade como já solicitou, de pronto, da secretária de Educação do Município, Leiva Pereira, e do secretário de Desenvolvimento e Relações Institucionais, Ari Saraiva que sejam feitos os estudos de viabilidade jurídico e institucional para dar início ao processo de transferência ou mesmo de comodato daquela estrutura para a Amaji.

Segundo explicaram ao prefeito a diretora do Centro Municipal de Atendimento Educacional Especializado para Autismo de Ji-Paraná – Cmaee Autismo, Márcia Pereira de Souza e Marinez Hubner, presidente da Amaji, hoje, o quem tem preocupado a direção do Centro de Autismo e os pais dos alunos autistas é a descontinuidade do atendimento do jovem quando ele deixa o centro.

Nem sempre ele consegue frequentar a escola normal porque, muitas vezes, ele continua precisando de acompanhamento especializado, uma vez que o autismo não tem cura.

“É um presente e tanto para a  AMAJI quanto para o Centro. É muito difícil quando temos que nos despedir de um aluno que está com a gente desde pequeno. Agora a gente poder dizer para a mãe: teu filho está sendo transferido para a Amaji”, comemorou a diretora do Cmaee.


Desafio — Jesualdo Pires elogiou a iniciativa dos membros da associação ao “abraçar tão grande responsabilidade” e se dispôs a ajudar “no que for possível” para o sucesso da associação em mais esta ‘batalha’. “É uma responsabilidade grande, uma vez que a partir do momento em que a associação receber esse prédio público, a manutenção dele passa a ser da entidade. Eu admiro muito a iniciativa porque realmente não será uma tarefa fácil”, destacou o Prefeito.

“Estivemos lá e gostamos muito do espaço. A princípio a gente estava procurando uma sala e veio essa possibilidade do prédio onde funcionava a escola. Nosso objetivo é montar um espaço para equoterapia, uma horta sensorial, uma cozinha terapêutica. Só temos a agradecer esse apoio, em nome de todos os pais de crianças e jovens autistas, porque isso, principalmente para mim que tenho filho autista, é um sonho que estamos realizando”, finalizou a presidente da Amaji, Marinez Hubner.

Os vereadores Lorenil Gomes da Silva (PSC) e Clodoaldo Cardoso (PR), que acompanhavam a reunião e possuem na família crianças com deficiência, se prontificaram a ajudar a Amaji a interceder junto ao governo do Estado com o intuito de firmar parceria para possibilitar a implantação dos projetos da associação em Ji-Paraná.

Fotos: J. Batista

 



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here