Ao remover corpo de mulher IML descobre que ela morreu pela ‘segunda vez’

0
39

Após morrer em decorrência de causas naturais o corpo de Eliane Souza Dallavaques, de 56 anos, foi removido ao Instituto Médico Legal (IML) na noite desta quarta-feira (09), 24 horas depois. Tudo isso ocorreu porque veio a público a notícia de que a mulher já possuía uma certidão de óbito, fornecida há 21 anos no Estado do Pará.

O fato aconteceu em uma vila de apartamentos na Rua Uruguai, no bairro Nova Porto Velho, capital de Rondônia. O esposo da vítima disse que na terça-feira, ao chegar em casa por volta das 18h encontrou a mulher morta. O Samu foi acionado de imediato foi chamado e constatou o fato em decorrência de problemas  cardíacos.

Uma funerária contratada pela prefeitura foi ao local para fazer os preparativos necessários e acabou descobrindo que a vítima já possuía uma certidão de óbito no Estado do Pará, data de 1999.

Por essa razão, a viatura do Instituto Médico Legal (IML) foi acionada e o corpo, mediante investigação criminal e cadavérica, está sendo examinado para se comprovar a real identidade da mulher . A polícia busca saber se ela estaria usando documentos falsos ou foi vítima de algum golpe no Estado do Pará.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here