Após três dias de um acidente que envolveu pai e filho, a pedagoga, esposa e mãe das vítimas, Aline Castro, agora consegue respirar aliviada. “Foi uma cena horrível, mas eles nasceram de novo”, disse. O vigilante patrimonial Franklin da Silva e a criança, de 3 anos, seguem internados e o estado de saúde de ambos é estável.

Eles se machucaram após o pai salvar o garoto de um fosso em chamas, usado para a incineração de resíduos. O acidente aconteceu em Guajará-Mirim (RO) no último dia 30 de dezembro.

No momento do incidente, Franklin conversava com um vizinho, enquanto o menino brincava perto de um incinerador de madeira. Em pouco tempo, a criança caiu dentro do fosso em chamas. O buraco possui dois metros de profundidade e era coberto apenas por uma telha.

PAI SALVOU FILHO APÓS CRIANÇA CAIR EM FOSSO EM CHAMAS. — Foto: Arquivo pessoal

Consegui tirar ele (sic) para fora, mas tentei sair e era muito alto. Queimei logo minhas mãos. Os pés começaram a cortar também. Ele (menino) ainda tentou pegar minha mão e falava: ‘bora, papai. Bora, papai’. Eu falei pra ele chamar ajuda e ele correu”, explicou o homem.

Quando viu como filho e o esposo estavam, Aline Castro não pensou duas vezes e clamou por socorro. Sua primeira ação foi pegar a criança no colo e ajudar o marido. Vendo que não conseguia puxá-lo de volta do buraco, gritou o máximo que pôde.


Com os gritos da mulher, vizinhos começaram a aparecer. Os da frente, um homem e o filho dele, conseguiram salvar Franklin. Pela gravidade nos ferimentos, o homem desmaiou.

O homem sofreu queimaduras nos braços, nas pernas e nos pés. Pela gravidade nos ferimentos, ele foi transferido ao Hospital de Base de Porto Velho, passou por cirurgia e continua em observação. Ele ficou cinco minutos no buraco. A criança também permanece em observação no hospital de Guajará-Mirim. Ela se recupera das queimaduras de uma das mãos.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here