O processo de ocupação humana em Rondônia está sendo estudado a partir da análise de crânios encontrados no Rio Madeira. A pesquisa tem como base a reconstrução de faces em 3D, feita pelo pesquisador Cícero Moraes, que trouxe para a Campus Party Rondônia (CPRO) a reconstrução facial de um ancestral indígena.

O especialista apresentará o projeto na noite desta sexta-feira (3) durante a palestra “Reconstruindo faces e vidas com a computação gráfica 3D”.

Segundo a diretora do Museu da Memória Rondoniense, Ednair Nascimento, há cinco meses Cícero Moraes entrou em contato com a instituição para fazer a reconstrução facial de crânios humanos encontrados em áreas de garimpo nas margens do Rio Madeira, entre o Porto do Cai n’água até o Belmonte. O material foi coletado por arqueólogos e garimpeiros.

“Ao todo, seis crânios foram doados pro museu e até agora não tínhamos um estudo sobre eles. A participação do Cícero vem muito a colaborar nesse processo de pesquisa. Processo que também tem parceria com os alunos de arqueologia da Universidade Federal de Rondônia (Unir)”, explicou Ednair.

A datação relativa dos crânios é de aproximadamente 3 mil anos. A partir do estudo será possível ter a determinação do sexo, idade biológica do crânio e causa da morte.


“A gente vai saber se foi uma morte catastrófica, por doença, surto ou morte natural. Além disso, o mais importante é estabelecer uma conexão dessa população, saber quais as características étnicas, se têm traços mongóis, indígenas, ou europeus”, comentou a diretora do museu.

Com essa pesquisa será possível colocar Rondônia no mapa da trajetória de migração e ocupação humana no mundo. E também reconstruir a memória do estado.

“Com isso a gente começa a compreender que a ocupação humana em Rondônia é muito anterior a Estrada de Ferro Madeira Mamoré, já existiam indígenas aqui antes da ferrovia, e antes desses indígenas existiam outros grupos também. Nossa miscigenação pode ser levantada a partir desse estudo científico”, afirmou Ednair Nascimento.



CURTA/SIGA/ACOMPANHE-NOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here